terça-feira, julho 31, 2007

A ilha!

É um pouco assustador quando os filmes de ficção se tornam uma espécie de prenúncio de uma realidade não muito distante. Imaginem, por exemplo, um ser humano ter todas as suas reações fisiológicas monitoradas por um chip instalado no cérebro? É o que uma pesquisa americana vem tornando possível e que já se pretende utilizar no exército dos Estados Unidos.

Muitas das mudanças, descobertas e invenções relacionadas ao comportamento humano, e mesmo da ciência em geral, começaram com pesquisas com finalidade bélica. Os testes psicológicos são um grande exemplo.

Algumas dessas ferramentas, trouxeram benefícios. Outras, tornaram-se instrumento de controle inclusive (e principalmente) de civis. Toda a tecnologia de vigilância e segurança, de comunicação, transmissão de dados, controle de doenças...

No passado costumávamos, ao menos, resistir às formas de controle. Sobretudo as invasivas. Hoje, ao contrário, sentimo-nos seguros com elas. Nos sentimos confortáveis com a preocupação e o cuidado do governo com sua população.

Onde isso vai parar, não sabemos. Pouca gente questiona ou se interessa.

E Michel Foucault se revira no túmulo!

Leiam aqui o artigo sobre a referida pesquisa.

sábado, julho 28, 2007

quarta-feira, julho 25, 2007

Fome, vontade de comer, necessidade, demanda, desejo... tudo num pacote só!

Juntar coisas que uma pessoa gosta muito, só pode trazer a ela satisfação e felicidade, certo?
Pois alguém chamado Ralph Steadman, encontrou a fórmula pra me fazer, no mínimo, beeeem contente!
Sabem quem é ele? Um cartunista. Sabem o que ele fez? Um livro misto de prosa e HQ. Sabem sobre o que? A vida de Doc!!! Siiiimmmmm.... uma biografia de Sigmund Freud que mistura prosa e quadrinhos. Isn´t that perfect?!
Literatura, quadrinhos, psicanálise... pena que não dá pra ler fazendo sexo. Uma coisa diminui a concentração na outra. Mas dá pra ler comendo chocolate. Rá!
Li na "Ilustrada" de hoje. O livro se chama "Sigmund Freud" (tá.. o nome não é criativo) e já chegou ao Brasil. :)
Não conheço esse cartunista, mas ele já tem uns 8 pontos de estilo. E pelo que li na "Folha", há chances de que ele chegue aos 10 depois que eu ler o livro.

Haja... paciencia!

Eu sei, eu sei! Essa história de fazer piada com o Galvão Bueno, de dizer que ele é um chato, pé frio, blá blá blá... não tem novidade nenhuma.
É intrigante como todo mundo diz que odeia o Galvão, mas ele ainda é a estrela mor do mundo esportivo global. Masoquismo? Falta de opção? Vai saber.
O fato é que o assunto "Galvão Bueno" não cansa (ao contrário do próprio) e é inesgotável.
Eu ando bem mais implicante com ele do que o normal. É que eu acredito que, enquanto o Galvão narrar a F-1, a Ferrari e, mais especificamente, o Felipe Massa não têm chances.
No último GP, com o acidente do Hamilton, a excelente largada e posterior desempeho do Felipe, que assumiu a primeira colocação, com a chuva, a paralisação da prova, o safety car, as trocas de pneus, a quebra do Kimi, enfim, tudo aquilo que aconteceu numa emocionante prova, parecia que Deus havia decidido que a primeira colocação seria do Massa. Usando toda a sua criatividade divina, e cotando com a capacidade e competência do piloto, Deus esqueceu-se de um detalhe: o Galvão. Pois foi ele quem fez chover novamente e tirou o primeiro lugar de Felipe a 7 voltas do final. Quem mais?
Desde que começou a zica da Ferrari nesta temporada, o único GP com dois ferraristas no pódio fui justamente o que Galvão não narrou.
Mas tudo isso é só preâmbulo para o assunto principal do post: o que mais lhe irrita no Galvão Bueno? A mim, é essa zica que ele joga sobre o pobre comentado. Esse azar invencível que recai sobre a pessoa da qual ele fala.
E a você... como Galvão mais lhe irrita? Qual das frases feitas, qual dos apelidos?
Tenho uma pequena lista pra lhe ajudar:
- Haja coração!
- Bem amigos.
- Rrrrrronaldo. Rrrrrrrronaldinho. Rrrrrrroberto Carlos.
- Chamar o Hamilton de Robinho.
- Explicar 587 por GP, como pronunciar o nome do Kubica.
- As previsões furadas e imediatamente contraditas.
- É teste pra cardíaco.
- Eletrizante.
- De matar!
- O jogo está dramático, amigo!

Bom, vou parar pois os posts devem ter um limite máximo de caracteres.

quinta-feira, julho 19, 2007

How could hell be any worse?

Existe música ruim. E existem as versões, que conseguem, em geral, ser piores que as piores músicas ruins.
Versões na mesma língua, até podem dar certo. Versões em outra língua, feitas pela mesma banda, também podem fuincionar.
Mas versões em português, feitas por brasileiros, de músicas em inglês, são sempre uma tortura aos ouvidos! Fiz uma pequena listinha para provar meu ponto:

* Astronauta de mármore - Nenhum de Nós; versão de Starman - David Bowie.
(Essa porqueira tornou impossível ouvir a canção de David Bowie, sem pensar nos versinhos em português)
* Batendo na porta do céu - Zé Ramalho; versão de Knockin' on heaven's door - Bob Dylan.
(Não sei o que é pior: a letra ou o sotaque)
* Hey Jude - Kiko Zambianchi; versão de Hey Jude - Beatles.
(O pior foi fazer a minha geração acreditar que Beatles era aquilo que a gente tava ouvindo na voz de Kiko)
* Então é natal - Simone; versão de Happy Xmas - John Lennon.
(Véspera de natal, shopping lotado, você na fila pra pagar aquele presente de amigo oculto do escritório, que resolveram fazer na última hora e você tirou o chefe. Pensando que não há dor pior, você começa a ouvir a voz de Simoene: "Então é natal. O que você fez?", e tem um desejo muito, muito forte de que Yoko Ono morra agonizando, por ter liberado os direitos pra essa versão)
* É isso aí - Ana Carolina e Seu Jorge; versão de The Blower's Daughter - Damien Rice.
(A única coisa que me vem à cabeça quando ouço "Eu não sei parar te olhar", é que alguém devia furar-lhe os olhos pra resolver de vez a questão)
* Lá vem o sol - Lulu Santos; versão de Here comes the sun - Beatles.
* De leve - Lulu Santos; versão de Get Back - Beatles.
(Temos aí um caso de duplo assassinato)
* Não chores mais - Gilberto Gil; versão de No woman, no cry - Bob Marley.
(A original já não ajuda. O sotaque baiano só piora)
* O passageiro - Capital Inicial; versão de The Passenger - Iggy Pop.
(Dinho Ouro Preto cantando Iggy Pop? Isso deve ser pecado em alguma religião)
* Você ainda pode sonhar - Raul Seixas; versão de Lucy in the sky with diamonds - Beatles.
(Vamos fechar que deveria ser proibido por lei fazer versões dos Beatles?!)

Tá bom, né? Acho que já dá pra convencer quem ainda depositava esperanças em versões aportuguesadas.

segunda-feira, julho 16, 2007

E a música da semana é...

Preparem seus melhores pulos. Aqueçam a garganta. Peguem seus travesseiros.

E pulem, e gritem, e façam guerra de travesseiros... let's make a riot!!!!

E essa banda tá me ganhando.

domingo, julho 15, 2007

My house




E, após um ano de entrega de documentação, muitos telefonemas, espera, finalmente o IEF liberou a autorização!!! Agora ainda temos que enfrentar um processo de aprovação do projeto na prefeitura de Nova Lima que, seguramente, é menos chato, burocrático e enrolado que o do IEF.


Então, contagem regressiva para o início da construção. Logo poderemos começar a pensar seriamente em Pollyardo e Eduanna.


Este é o desenho feito por Cássio e Carla, o simpático casal de arquitetos, grandes amigos e nossos padrinhos de casamento.


Os planos começam a tornar-se mais concretos e eu poderei voltar para as montanhas, ficar livre de D. Wanda e desse prédio habitado por muitos seres estranhos.


Podem começar a me dar livros pra eu encher minha mega biblioteca. :)




quinta-feira, julho 12, 2007

Não tem psiquiatra na Romênia?!

Um cidadão romeno, preso por assassinato, iniciou um processo contra Deus. Motivo óbvio: quebra de contrato. Como contrato entenda o batizado do indivíduo. Deus provavelmente não leu as letras pequenas. Não podemos culpá-lo... ninguém lê. Se bem que, pensando bem, ele não precisa ler, considerando-se que é onisciente. Hum...

Enfim, o cara sentiu-se lesado e alega que Deus entregou-lhe a satã. E só por isso ele matou. Além de querer que o Todo Poderoso pague pelos danos morais a ele causados, o homem ainda exige ressarcimento financeiro pelas velas e outros serviços religiosos que de nada lhe valeram.

O problema é que não conseguiram descobrir o endereço Daquele que tudo vê. Dizem que é brasileiro; mas como encontrar alguém nesse país continental?! O fato é que o processo teve que ser arquivado por não encontrarem o réu, depois de dois anos.

Bem, só posso concluir que, se há serviço de psiquiatria na Romênia, ele não funciona bem. Não digo isso somente por causa do requerente e sua evidente psicose, mas pelos digníssimos membros do judiciário romeno que, não só aceitaram tal processo, como o mantiveram aberto por dois anos! Além de doentes, são burros. Não sabem que Deus está em todo lugar? É só largarem a intimação por aí. Se Ele não comparecer, o processo corre à revelia. Depois da sentença, fixado o valor da pena, pede-se um inventário a George W. Bush de todos os bens dos EUA no mundo. O que sobrar, é de Deus, e pode ser confiscado para pagar ao nobre senhor demandante.

Acham que inventei esse disparate todo? Leiam aqui a notícia.

quarta-feira, julho 11, 2007

Nice movie, beautiful song

Interessante este vídeo. Foi o escolhido como vídeo da semana do Quiche!

quinta-feira, julho 05, 2007

Just like heaven

Trufas de maracujá são das melhores invesões humanos no campo do entretinimento.

Figurariam, numa lista, bem próximo ao cinema e ao rock!

Eu, num campeonato de surf

Na Inglaterra (claro!), uma senhora tirou o segundo lugar num concurso de culinária. Ela era a única concorrente. A fofa ficou super contente com sua colocação, até que uma amiga (da onça) contou que ela havia sido a única inscrita. Foi o que li no Terra. O pior nessa história toda é que o tal concurso, que teve a sua primeira edição e não foi nada popular, além de ter jurados super antipáticos e exigentes, já está previsto a se repetir no ano que vem. A velhinha que se cuide e se aprimore, ou receberá, no máximo, uma menção honrosa.

Imagino que se eu fosse a única participante num campeonato de surf, e pudesse mostrar toda a graça e desenvoltura da mulher mineira no mar, além do meu fôlego de alguém com asma e enfisema pulmonar, certamente tiraria o quinto lugar. A menos que fosse o "primeiro campeonato mineiro de surf", que acontece todos os anos na Obra.

terça-feira, julho 03, 2007

A música da semana

'Cause we all need a little magic once in a while!

Aumentem o som, porque tá bem ruim!!!